top of page
Buscar

Resumo da campanha infinita de AD&D (há Spoilers)

Atualizado: há 1 dia



Este documento será mantido com o resumo da campanha de AD&D 2ed nos membros do Pega Essa Flecha. Todos os jogadores podem ler todo o conteúdo, pois aqui está o ponto atual da aventura. Aos espectadores da campanha pelo YouTube, cuidado! Há spoilers de todos os episódios até o momento - inclusive daqueles ainda não publicados.


Esta campanha está sendo streamada na Twitch do Flecha, e posteriormente publicada no YouTube.



Quer jogar conosco essa campanha? Conheça o projeto Pega Essa Flecha. Dúvidas entre em contato em qualquer rede social do Flecha Mágica.


Mapa de Suzail:


Mapa de Cormyr:


Descrição do Início da Campanha

O ano é de 1379 CV, em Suzail, capital de Cormyr. Alusair Obarskyr pede auxílio aos Harpistas para investigar um mago Netherese conhecido como Senhor dos Olhos. Por algum motivo ainda desconhecido parece que este mago da antiga nação magocrática de Netheril está investigando as transações do Trono de Ferro, uma organização que comercializa armas entre grandes cidades da região e até na Costa da Espada.


Até o momento pelo que se sabe, o Senhor dos Olhos utiliza-se dos olhos alheios em uma prática que alterou a escola de magia do Olho Arcano tornando-a necromântica, e tem captura olhares dos soldados Dragões Púrpuras da cidade. O grupo de aventureiros deve investigar a localização de seu suposto covil.


Resumo das Sessões


Sessão 1:

- Não havia sinais no porto (A4) indicando envolvimento do soldado que supostamente foi enfeitiçado

- O Senhor dos Olhos encontra-se na cada externa ao norte de Suzail (A5)

- Havia guardas protegendo a casa (A5)

- Os aventureiros tentaram invadir, mas falharam e fugiram. O aventureiro Thokul morreu no local.

- Os aventureiros guardaram 213po na base dos harpistas (A1).


Sessão 2:

- Há uma suspeita de um túnel subterrâneo sob a casa do Capitão Evendur (A17)

- Foi descoberto um mapa com rotas de barcos saindo dos portos em direção ao naufrágio (A12)

- Foi encontrado um estoque de Goma Arábica no A9

- Foram encontrados 6 peças de pedra/carvão no A9

- A Capitã Haseid foi presa e encontra-se no Palácio (1)

- O Soldado Honófrio foi envenenado pela Capitã Haseid durante sua prisão na Cidadela (36)

- O Soldado Honófrio encontra-se protegido no Palácio (1)

- A suspeita de um Culto Secreto à Apófis no estoque do Trono de Ferro (A8)

- Foi encontrada uma mensagem "Anote a lista no Livro Vermelho" no A9

- Foram encontradas shurikens no A9

- Foi encontrada uma carta "Uma quantia de 100po deve ser oferecida para o Malark. Fazer vista grossa no porto (A4). Carta endereçada à Capitã Haseid. Carta assinada (sem brazão, e sem selo) pela Administradora Erevan Sol, do Trono de Ferro"

- A ronda do Soldado Malark (Purple Dragon) foi alterada pela Capitã Haseid e pelo Capitão Evendur, trocando para o Soldado Honófrio

- A embarcação Blade of Espar foi autorizada (no dia 3) a investigar as rotas dos barcos ilegais, porém antes do primeiro barco ter sido descoberto (no início do dia 4)

- O Trono de Ferro apresentou uma contabilidade falsa (com origem no A7)


Sessão 3:

- Foi encontrado na localidade A5:

  • Um livro de capa de couro velho. Nele tem escrito 4 rotas comerciais que chegam a suzail, por estradas oficiais, ou estradas não oficiais. Elas tem origem nas cidades Kallmarn, Wheloon, Nesmyth e a Aldeia Pé Descalço (vila do Milo). Ao total são 8 rotas: uma oficial e uma não oficial partindo de cada vila até Suzail. Nessas rotas estão atonados os horários oficiais das rondas dos Purple Dragons de Cormyr. A informação parece ter sido escrita por uma pessoa chamada Július Sol. Exemplo: Às 12 horas, na estrada oficial, há uma patrulha de 4 Purple Dragons a cavalo. Coisas assim. No final deste livro, anotado na contra capa, há a seguinte mensagem: Palavra chave da porta: "Rústico Orc Manco"

  • Um livro de capa vermelha (ninguém conseguiu ler ainda)

  • Uma pedra com cheiro de carvão

  • Um ritual a Apófis, com caveiras e o nome da regente anotado sob o ritual

  • Uma passagem subterrânea para o sul

  • Armaduras com uma marca oriental semelhante a um F




  • Papeis de Séquito do Oriente (cartas 2 e 7, vide no final deste site)

  • Um carta náutica (vide no fim)


- Prenderam um humano chamado Garrison (que estava vigiando a casa A5 na sessão 1).

- Há fumaça saindo na casa A17. Os personagens deduziram que há um túnel subterrâneo entre a casa A5 e A17.


Sessão 4:

- Uma caravana saindo de Wheloon vindo para Suzail foi atacada por goblins. E há registro de três goblins na região norte de Suzail, na Estrada Calantar.


- Descobriam que dois Purple Dragons, chamados Helder e Vladislak, que avisaram que o navio dos Purple Dragon naufragou.


- A coruja Gal seguiu Vladislak e o Guarda do Séquito até um local chamado Intento de Proskur, um centro/taverna mantida por um povo de Proskur, com a intenção de criar um Enclave Thayano na cidade de Cormyr (vide sobre Thay no final). Depois que Vladislak entrou, o Guarda do Séquito foi para um local chamado o Séquito do Oriente.


- Os personagens encontraram um túnel subterrâneo no estoque do Trono de Ferro, levando para o leste. Eles encontraram caixas com adagas do torno de ferro.


- Os personagens encontram um ritual de Apófis neste túnel subterrâneo. Neste ritual havia jarras de óleo usado para me ter corpos conservados, onde haviam 2 serpentes. Havia também um túmulo de pedra, que não foi aberto. Eles botaram fogo no ritual.


- No final eles interrogaram um vigilante do Trono de Ferro que falou sobre o trono estar sim fornecendo armas, mas não disse o destinatário. Falou que o Séquito do Oriente tem atuado em conjunto pois estão em “débito” com o Thayanos. Disse também que ele carregou armas em barcos que foram enviados para um barco maior, que NÃO está naufragado. Por fim ele disse que as Tradebars com pedras semelhantes a carvão na verdade são Tradebars de Ouro não assinadas por Cormyr (vide nota sobre Tradebar no final).


- A Feiticeira Shandri fugiu para uma casa pelo final do túnel subterrâneo.


- Há fumaça saindo de uma localidade no A26 e do estoque do Trono de Ferro (A8). Os personagens deduziram que há um túnel subterrâneo ligando esses lugares.


Sessão 5:

- O pirata Jonathan (personagem do O'Neill) fingia estar associado ao Trono de Ferro e trouxe uma carta para Erevan Sol. Mas ele entregou a carta ao Murtor (harpista).


- A carta 13 dizia que a navegação até Wheloon está garantida (pelos piratas, como se eles não fossem atacar alguém que viajasse nesse sentido sendo do Trono de Ferro). A carta também cita alguma coisa relacionada à lista de clonagem: "Queremos incluir uma pessoa à lista de clonagem"


- Ele trouxe também, guardado em um baú protegido com armadilha, com um pedaço de carne dentro. A Maga Nolara disse que esse pedaço de carne pode ser um ingrediente para a magia clonagem.


- Os personagens levaram os 213po que estavam guardados na base dos harpistas


- Eles descobrem que há vários soldados próprios guardando o Séquito do Oriente


- Havia fumaça saindo de uma estátua (de uma raposa) decorativa na região do Séquito do Oriente, que parece vir do subterrâneo. Há uma lenda que essa raposa atravessou a Golden Way


- Os personagens descobriram que há bombas de fumaça vendida no Séquito do Oriente (custo 100po). Parece que uma coruja roubou um vendedor no local.


- O personagem Roscoe contratou um morador de rua chamado Tuk para investigar para ele. Eles foram conversar sozinhos na Taverna Seis Velas. Lá eles viram


- Ao entrarem no Séquito do Oriente, os personagens são carimbados por um símbolo parecido com um F. Este mesmo símbolo foi encontrado nas armas e armaduras na casa A5 (na sessão 3). Eles descobrem que esse símbolo é uma assinatura do ferreiro Furor, que fica no Séquito do Oriente. Eles agendam (em aberto) um futura visita ao ferreiro quando voltarem.


- Eles descobriram que há uma pétala da Acácia do Oriente, uma planta muito apimentada.


- Eles veem um Mago de Thay dentro das instalações do Séquito do Oriente. Ele só passa por uma sala e some no interior do lugar.


- Roscoe guarda seu dinheiro nos bancos do palácio de Cormyr (só este personagem dele sabe disso).


- Jonathan foi falar com a poderosa maga Caladnei na Biblioteca Vangerdahast no palácio. Ela disse que esta investigando a possível queda de uma Lágrima de Selune nas proximidades do reino (só este personagem dele sabe disso).


- Roscoe vê uma reunião entre o Lorde da Stonelands Darvaer Huntinghorn com o taverneiro Proprietário Saszesk.


Sessão 6:

- Os personagens enviaram uma mensagem à regente Alusair Obarskyr informando que eles prenderam Garrison. A regente chega até eles e manda os guardas enforcarem Garrison (um Netherense - pessoa do antigo povo de Netheril) no final do dia. Ela vai para uma reunião na casa dos Lordes das Stonelands Huntinghorn. Alusair Obarskyr conta que os lordes da Stonelands disseram que vários goblins saíram da Stonelands e vindo em direção de toda Cormyr. Uther recebe uma mensagem dizendo para ele comparecer às Torres da Boa Fortuna (de Tymora).


- Bela e Caelynn vão ao templo de Bastet tentar ajudar o personagem Deatsu que morreu, e a própria Caelynn que estava sem enxergar. Caelynn é curada. Os clérigos do templo de Bastet orientam levar Deatsu até um templo maior na cidade. Eles também falam que Apófis é uma divindade menor de Kara-Tur, que provavelmente esta sendo auxiliada por alguma divindade mais forte, pois há muita magia maligna associada à trama mágica relacionada a Apófis. Eles decidem levar Deatsu para as Torres da Boa Fortuna (de Tymora).


- Uther conversa com aquele que estava lhe procurando. O homem fala: Meu nome é Jhaok Sulwood, um clérigo de Tymora. Sou filho de Doust Sulwood, antigo senhor do Vale das Sombras, um dos Cavaleiros de Myth Drannor originais. Minha família deixou Myth Drannor e hoje vive em Arabel, aqui em Cormyr. Há cerca de 10 dias recebemos uma visita inesperada de um Cavaleiro chamado Lucius Kane. Ele veio nos procurar, contado que um grupo de Drows e agentes Netheril havia entrado em Cormyr, e seus rastros vinham até Arabel. Ele comentou que você estava aqui, e que viria lhe pedir ajuda. No dia seguinte, quando iríamos conversar com a Regente Myrmeen Lhal, soubemos que Lucius havia sido atacado na taverna Máscara Negra, e que desapareceu. No seu quarto, que estava completamente vazio, nos encontramos isso: um sabre com uma runa. Esta é uma Runa Blackstone, de Shadowfell, ela é usada por Fada das sombras para transitar entre os planos.


- Os personagens perdem ao Arquiclérigo Mzentul para ressuscitar Deatsu. Ele cobra 5000po, mas oferece ajuda em troca de que eles investiguem um ligar chamado Intento de Proskur, que supostamente possui energia de deuses malignos.


- O Arquiclérigo Mzentul consegue abrir o Livro Vermelho (veja imagem).





Além dessas informações, há nomes escritos nele:

1 - Regente Alusair Obarskyr - Suzail

4 - Saszesk - Suzail

4 - Malask Huntinghorn - Suzail

4 - Senhor Rutos - Kallamarn

4 - Major Július Sol - Suzail

4 - Laspeera Inthré - Suzail

4 - Dwenthor dos Ventos - Suzail

4 - Regente Myrmeen Lhal - Arabel

4 - Regente Bledryn Scoril - Marsember

3 - Ayesunder Truesilver - Marsember

4 - Elestra Blaebur - Marsember

1 - Sarp Barba Ruiva - Wheloon

4 - Maximano Tholl - Wheloon

4 - Tunaster Dranik - Wheloon

4 - Lorde Thiombar - Dhedluk

3 - Ildul Stonegigante - Dhedluk

1 - Capitã Pirata Azla - Oresk

1 - Clérigo Gilbert - Aldeia Pé Descalço


- Os personagens deduziram que essas pessoas da lista estão elencadas no processo de clonagem pelas magias expostas no livro. E que o número antes delas é o passo no qual elas se encontram.


- Bela fica nas Torres da Boa Fortuna (de Tymora) esperando Deatsu ser ressuscitado.


- Ao voltarem para a base dos Harpistas, os personagens se encontram com Bran Skorlsun, um Alto Harpista do Twilight Hall em Berdusk. Ele comenta que há dez anos tem investigado o roubo do Cetro dos Reis-Feiticeiros, um antigo artefato de Netheril. E que acabou percebendo rastros de nethereses até aqui e tentou se comunicar com os Harpistas Doandoinin e Rora Kalter. Como não obteve sucesso, veio pessoalmente. Os personagens contam tudo pra ele e vão em direção ao casarão dos Lordes das Stonelands, da família Huntinghorn.


- Ao entrarem no casarão, o Milo percebe maldade em todos, guardas, soldados das Stonelands, goblins (que estão ali também), capitão, lordes, inclusive Murtor. Caelynn sai do casarão. Milo e Uther entram e veem Darvaer Huntinghorn, Shaman Olho Roxo (goblin), Maga Coraya, Malask Huntinghorn e a regente Alusair Obarskyr. Os personagens tentam avisar a regente sobre Intenções malignas no local e de repente eles são acometidos com uma magia de inverte a gravidade. Uther e Alusair são jogados para o teto, Milo consegue resistir. Murtor, o harpista, se mostra com uma dicção diferente, e de repente aparece dois caixões no centro (estavam invisíveis), e de um deles levanta uma colone da regente Alusair, e um ritual de comando com serpentes e óleo. No final Milo tenta sair da sala pela porta à esquerda. A Maga Nolara não é pega pela magia da gravidade.


- Informações extras ditas no grupo de zap do jogo: Bela fica no templo até Deatsu acordar. Ela fala o que aconteceu e o que descobriram. Sepois ela irá para o templo de Bastet para ajudar, conversar e obter mais informações. Roscoe, vai ficar na biblioteca da cidade, e principalmente nos livros de registros de entradas e saídas dos portões e dos portos da cidade, buscando incongruências. E na biblioteca, buscando mais informações sobre os aliados e os inimigos.


Sessão 7:

- Deatsu (O'Neill) consegue ser ressuscitado pelo Arquiclérigo Mzentul. Por ainda estar sem enxergar, o Clérigo Jassan o cura com Dissipar Magia (que resolve neste caso). Ele precisa descansar por 1 dia. Bela (Ana) e Clérigo Jassan o levam para o templo de Bastet.


- Delvar (Vicenzo) estava em seu templo de Moradin ao oeste de Suzail (A23 - fora dos muros), quando ele recebe Bran Skorlsun. Bran comenta que é um alto harpista de Berdusk, e prova com documentos. Disse que veio à cidade de Suzail e acabou descobrindo uma possível trama em que Murtor, o principal harpista da cidade esteja envolvido. Delvar disse ter recebido uma carta de Murtor, mas nunca ter se encontrado com o mesmo. No final Delvar se propõem a ajudar Bran.


- Jonathan Demontier (O'Neill) estava na Biblioteca Vangerdahast conversando com a poderosa maga Caladnei sobre uma investigação que ela estava fazendo: parece que 2 Lágrimas de Selûne estão prestes a cair em Faêrun, uma delas nas proximidades de Cormyr. Ela leva Jonathan até a Torre da Magia Real por um portal no castelo e lá eles usam um telescópio. Após cálculos ela diz que uma das lágrimas cairá em Telflamm, uma cidade de Thesk, ao leste do Sea of Fallen Stars. E que a outra cairá entre a Hermit's Woods e a Blister Trail, na região leste de Cormyr. Jonathan se oferece em ajudá-la a investigar o local em Cormyr onde a Lábrima cairá. De volta ao castelo de Suzail ele é chamado por Capitã Olma e a Clériga Callie (Tymora). Elas falam que foram procuradas por Bran Skorlsun, que as informou que Murtor estava aliciando pessoas na cidade para facilitar transição de armas. Disse que gostaria de falar com todos as pessoas de confiança da regente, e de novos ajudantes dos harpistas (os personagens). Eles combinam de se encontrar no templo de Tymora no castelo. Ao final ele volta à Biblioteca e confirmar que ajudará Caladnei. Pede itens mágicos. Ela dá um documento à ele e o direciona até a Forja Real.


- Caelynn (Marcos Fon) estava fora da Mansão dos Lordes Huntinghorn e começou a ser observada por soldados do local e pelo Capitão Rutory. De repente Sold-Kur (harpista) chega em uma carruagem e comenta que Bran Skorlsun (alto harpista) estava tentando contatar todos os harpistas da cidade, pois acha Murtor está envolvido em alguma coisa nefasta. Caelynn entra na carruagem.


- Milo (Ruy), a regente Alusair Obarskyr, Uther (Leonam), e a Maga Nolara estavam na Mansão dos Lordes Huntinghorn no momento em que uma clone da regente surge de uma caixão invisível (que tornou-se visível) no centro da sala. Há um combate, onde Nolara joga fogo da lareira pela sala e é retida por uma Dissipar Magia da maga Maga Coraya. O goblin Shaman Olho Roxo tenta lançar uma magia desconhecida sobre a regente, mas resiste. O Mago Senhor dos Olhos chega e lança a mesma magia na regente, que dessa vez é acometida por um controle mental. A regente manda seus amigos se renderem, desce do teto (ela estava em Gravidade Invertida - o conjurador cancela a magia) e entra no caixão. Neste tempo Milo puxa Uther com uma toalha e joga vários objetos para a sala queimar. Milo, Uther e Nolara conseguem fugir na confusão do fogo. Neste momento eles encontram com Caelynn e Sold-Kur em uma carruagem. Todos decidem ir ao templo de Moradin encontrar com Bran Skorlsun.


- Todos os personagens que estavam na mansão, o anão Delvar, maga Nolara, e os harpistas Sold-Kur e Bran Skorlsun se reúnem no templo de Moradin. Bran Skorlsun conta que procurou informações no esconderijo subterrâneo dos harpistas (A1) sobre Murtor estar aliciando pessoas para ajudá-lo, mas que aparentemente ele estava tentando facilitar transições ilegais. Isso claramente vai contra os interesses dos harpistas. Ele soube disso quando conversou com o Mago Kyler Blackbone e Beldred Truesilver no palácio de Suzail. Eles o acusaram dos harpistas estarem facilitando transações ilegais em nome Murtor. Desde essa informação ele decidiu buscar por pessoas de confiança da regente (que aparentemente estavam recebendo ordens diretas dela sem formalidade). Essas três pessoas seriam: Maga Nolara,  Capitã Olma e a Clériga Callie (Tymora). Maga Nolara confirma isso. Ele então oferece uma sugestão de todos saírem de perto da cidade e irem para um antigo esconderijo harpista ao norte. Todos aceitam a proposta.


- Chegando ao local eles investigam e confirmam que esta abandonado. Eles entram no local e descobrem uma passagem secreta que se abre com a palavra-chave "Carroça de Três Rodas". O local está abandonado, mas parece seguro. Lá eles decidem se dividir: Bran Skorlsun e Caelynn decidem seguir para Kallamarn (vila ao norte - das maças verdes), pois Bran tem um contato harpista na vila. Delvar, Sold-Kur e Milo decidem ir à Suzail para tentar entrar na cidade pelo túnel subterrâneo (A5), com intuito de buscar todos ajudantes harpistas - possivelmente Capitã Olma e a Clériga Callie (Tymora) no castelo. Uther e Nolara ficam no local para tomar conta e arrumar um jeito de não fazê-lo parecer suspeitos aos olhos dos inimigos (talvez fingir que está aberto para vender especiarias, ou esconder os rastros e os cavalos).


- Looting encontrado por Delvar na nova base dos harpistas (fora da cidade):

  • Folhas exóticas da floresta de Gulthmere (acalma equinos)

  • Pelos de Urso-Coruja

  • Uma pérola de Anauroch

  • Receita para poção de rejuvenescimento (pérola de Anauroch, pó de diamante, bile de Sahuagin)

  • Uma Pétala de Acácia do Oriente (folha muito picante)

  • 1 metro de seda roxa

  • 2 Espelhos de Prata

  • Óleo Cítrico extraído de Kallamarn Catsheads (maças verdes de Kallamarn)

  • 3 Kallamarn Catsheads (maças verdes de Kallamarn)

  • 100ml de veneno de Wyvern


Decisões no grupo de WhatsApp entre as sessões 7 e 8:

- Romero (O'Neill), o Bardo, foi para a taverna Seis Velas cantar e escutar boatos. Ele percebeu uma carta caindo de um Dragão Púrpura por perto e pegou (carta 6, vide no final deste post). De madrugada você viu um Goblin pela porta da cozinha. Ele não parecia ser um cozinheiro. Usava um arco e flecha.


- Roscoe (Yan) fez uma pesquisa na intendência do Palácio de Suzail por entradas e saídas "estranhas" nos três portões da cidade: Field-Gates (portão oeste), Eastgate e Horngate (portão norte). Há muitas reclamações de pagamentos exorbitantes a respeito da criação de guildas para uso de armas sem bloqueio (peace-bond weapons). Fora isso, houve algumas situações estranhas:

  • Uma pequena caravana vinda de Wheloon foi atacada por goblins há 1 dia. Eles reportaram isso no Horngate. Um dos vendedores, chamado Ungart, acabou de sair da cidade. Está voltando com a proteção de 2 vigilantes contratados na Roda das Lamentações.

  • Três carroças com tendas, lonas e tonéis de água, cordas e rações de viagem estavam saindo sem licença pelo Eastgate. A caravana estava sendo organizada por um comerciante chamado Denetor. Ele precisou ficar no local por algumas horas, até que foi autorizado por um administrador do Trono de Ferro chamado Murtor. A autorização indicava uma viagem até Marsember, para a taverna Escudo Fendido.

  • O proprietário Saszesk da taverna Seis Velas apresentou uma autorização fraudulenta para aquisição de maçãs e pedras de carvão. Isso ocorreu no Horngate. O carroceiro Tuco não pode entrar na cidade e voltou para Kallarmarn.

  • O Contador Enialis, do Trono de Ferro, veio informar no Field-Gates que uma carroça com adagas deveria chegar no final do dia (isso foi há 3 dias). O problema é que a soldada Lara disse que ele era um bandido com negócios ilegais em sua antiga cidade Marsember. Isso não foi reportado oficialmente. A carroça entrou e foi para os portos.


- Roscoe (Yan), ao ser informado por Capitã Olma e a Clériga Callie (Tymora) no Palácio de Suzail sobre os últimos acontecimentos (possível traição de Murtor, Livro Vermelho, e que Bran Skorlsun estava reunindo os Harpistas), decidiu ir à biblioteca na Torre da Magia Real investigar detalhes de como perceber se um indivíduo é ou não clone. Quando Roscoe chegou a biblioteca, ele se deparou com Valygar (Tulio), que acabara de chegar de Forte da Vela com intuito de trazer um tomo chamado “Mythal e sua influência sobre corpos celestes” a pedido de ninguém menos que Laspeera Inthré, filha de Elminster, uma das magas que vive na Torre da Magia Real. Ele foi orientado a guardar o tomo na biblioteca.

Ambos fizeram uma pesquisa pesquisa interessante sobre uma variação da magia Clone (Necromancia, 8º Círculo), e meios de se perceber se um indivíduo é ou não clone. Valygar, por ter sido orientado a procurar Murtor na cidade (e ingressar como harpista), prontamente foi avisado por Roscoe sob a possibilidade da traição por parte de Murtor.

Valygar foi avisado de tudo, e orientado a procurar por Capitã Olma no templo de Tymora que fica no Palácio de Suzail. Eles descobriram quatro informações:


  • Detectar uma intenção maligna (formas de Detectar se é um clone): Seja pelo poder de deteção do Paladino, de clérigos especialistas, ou pola magia Detectar Maldade (2º Círculo), é possível perceber intenções malignas no clone. Não há garantias de que o original esteja sempre isento de atos malignos, mas uma vez que a índole da pessoa original seja conhecida, este é um sinal bastante efetivo.

  • Reação Alquímica (formas de Detectar se é um clone): Segundo o Livro Vemelho o processo de clonagem é acelerado através do Óleo Preservador. Se isto tiver sido realizado há pouco tempo e o clone não tiver se limpado. O cheiro adocicado do óleo poderia ser facilmente percebido. Passado um tempo, e com a limpeza do clone, este cheio se desfaz. Há, porém, uma reação alquímica conhecida capaz de causar uma branda camada espumosa sobre a pele de alguém (clone ou original) que foi mergulhado em seiva de Árvore-da-chuva (um ingrediente do Óleo Preservador) há pelo menos 24 horas. Isto é feito através de uma poção a base de hortelã, sal, enxofre e água. Os componentes uma vez fervidos criam uma poção amarelada que se derramada sobre a pele do clone causa espumas esbranquiçadas.

  • Dissipar Magia (formas de interromper controle sobre o clone): O uso da magia Dissipar Magia (3º Círculo) não é capaz de afetar um clone (pois o mesmo é um indivíduo por si só, não um magia ou um ser imbuído de efeito mágico). Há, porém, possibilidade de interromper os efeitos da magia O Comando de Dazaglaros que está sendo utilizada sobre o clone. Neste caso o sucesso da magia será comparado ao nível do conjurador que comanda o clone. Uma vez bem-sucedida, a interrupção será temporária, com duração de 1d4 rodadas. Caso ainda seja aplicada uma magia Permanência (8º Circulo) sobre Dissipar Magia, seus efeitos seriam permanentes - libertando assim o clone permanentemente dos comandos do conjurador maligno, tornando-o um indivíduo com uma índole combinada entre a do corpo oferecido para a clonagem e o original.

  • Porta Dimensional (forma de encontrar o original a partir do clone): A partir de detalhes escritos no Livro Vermelho, pode-se descobrir que a magia O Comando de Dazaglaros está sendo potencializada por uma criatura profana chamada Apófis. Através dela o poder limitado da magia Ordem transcendente seus limites físicos e permite ao conjurador comandante tecer ordens ao clone a qualquer distância. Isso é possível porque Apófis cria uma ligação maligna entre original e clone através do Plano Etéreo, onde um fio de prata liga ambos os indivíduos. Se este fio for encontrado (no Plano Etéreo), ele é capaz de levar até a posição respectiva do original, onde uma fenda interplanar está constantemente aberta. Se o fio for rompido, o clone deixará de receber ordens permanentes do conjurador que fez a clonagem, assumindo uma postura combinada entre o original e o corpo oferecido para a clonagem. Uma viagem para o Plano Etéreo não é algo simples. Há uma alternativa bastante plausível na qual um mago realiza a magia Porta Dimensional (4º Círculo) exatamente sobre o clone. Isso fará com que o mago, por escolher um lugar impossível de se transfigurar, fique preso no Plano Etéreo exatamente onde o clone está. Ponto este que ele perceberá a ponta do fio de prata. Caso ele consiga seguir este fio até o destino, atravessando o Plano Etéreo e sobrevivendo as suas intérpretes, ele chegará à fenda que liga o fio ao original e poderá voltar ao plano material no local onde o corpo e o caixão se encontram. Observe porém que se o fio for rompido, não há possibilidade de voltar ao plano material por esta fenda.


- Roscoe decidiu não informar à Capitã Olma e à Clériga Callie (Tymora) sobre suas descobertas.


Sessão 8:

- Há algumas horas antes, Deatsu (O'Neill) e Bela (Ana) estavam na capela de Bastet aguardando a recuperação de Deatsu quando um senhor chamado Bran Skorlsun apareceu. Ele se intitulou como um alto harpista de Berdusk, e mostrou um documento aparentemente oficial comprovando isso. Ele explica aos personagens que suspeita de traição por parte de Murtor, e pede que todos que foram convocados por Murtor se encontrem na capela de Tymora no palácio, na intenção de explicar para todos suas suspeitas e ajudá-los a não serem manipulados pelo falso harpista. Deatsu e Bela concordam em ir. Bran deixa o local. Antes de saírem eles pergunta ao Clérigo Jassan qual foi a missão dada pelo Arquiclérigo Mzentul, pelo fato dele ter ressuscitado Deatsu. Jassan explica que é uma investigação no Intento de Proskur, pois há desconfiança de energias malignas no local. A própria regente pediu ajuda ao Templo da Boa Fortuna para entender melhor as intenções dos Magos Vermelhos de Thay que estão na localidade. O Intento de Proskur é uma taverna que visa um dia alcançar o patamar de Enclave Thayano na cidade de Cormyr (vide sobre Thay no final).


- Uma cena (cutscene sem a presença dos persoangens) mostra o Netherese Garrison sendo enforcado na Promade por um grupo de Purple Dragons (rua principal de Suzail). Há incitação de violência por algumas pessoas que assistem.


- Kayla (Esmeralda) chega à capela de Tymora no Palácio de Suzail e encontra-se com Capitã Olma, a clériga Callie (Tymora), e Jonathan Demontier (O'Neill). Ela conta que veio à cidade pedir ajuda pois seus pais foram raptados, e que ela desconfia de um homem chamado Malask Huntinghorn. Capitã Olma explica que este é um Lorde das Stonelands, e que parece de alguma forma estar envolvido com uma trama, mas não dá mais detalhes. Ela também fala que ele estava em sua mansão fora da cidade, que inclusive foi recém incendiada. Deatsu (O'Neill) e Bela (Ana) chegam ao local. Todos se conhecem. Um templo depois, a regente Alusair Obarskyr chega no palácio com alguns Purple Dragons. Ela estava bastante suja e com fuligem, olha para os personagens é pede uma reunião no salão do trono. Eles conversam entre si e decidem não ir de imediato. Ela se afasta, mas logo depois envia um soldado solicitando a presença de todos. O grupo entra na capela de Tymora e fecha as portas. O soldado fica aguardando do lado de fora. Eles pedem ajuda ao Clérigo Aelar (Tymora) para saírem dali por outro local, e no final ele mostra uma passagem subterrânea. Capitã Olma se oferece para ficar na capela. Os demais seguem pela passagem e encontram um túnel vigiado por Purple Dragons. Eles despistam os guardas e seguem algum tempo para o sul até encontrarem uma sala cheia de água e caixões com mortos-vivos. Bela afasta os mortos-vivos e todos seguem passando por algumas portas até chegarem numa sala próxima que dá acesso à uma cozinha de taverna. Neste momento Deatsu sobe por um corredor e encontra um Guardião da Cripta (criatura) que faz um portal e teletransporta ele para 240 metros ao leste, nas ruas de Suzail. O grupo decide fugir pela cozinha, consegue despistar os guardas e ganham as ruas de Suzail. Romero (O'Neill), o Bardo, estava cantando na taverna.



- Milo (Ruy), Uther (Leonam), Maga Nolara, Bran Skorlsun (harpista), Sold-Kur (harpista), Caelynn (Marcos Fon), e Delvar (Vicenzo) estavam na loja de especiarias, dentro da passagem secreta abandonada dos harpistas, conversando sobre os próximos passos. Eles percebem que o Livro Vermelho estava queimando, e ao verificarem, notam alterações na numeração dos nomes (os que estão em negrito, a numeração mudou):

4 - Regente Alusair Obarskyr - Suzail

4 - Saszesk - Suzail

4 - Malask Huntinghorn - Suzail

4 - Senhor Rutos - Kallamarn

4 - Major Július Sol - Suzail

4 - Laspeera Inthré - Suzail

4 - Dwenthor dos Ventos - Suzail

4 - Regente Myrmeen Lhal - Arabel

4 - Regente Bledryn Scoril - Marsember

3 - Ayesunder Truesilver - Marsember

4 - Elestra Blaebur - Marsember

1 - Sarp Barba Ruiva - Wheloon

4 - Maximano Tholl - Wheloon

4 - Tunaster Dranik - Wheloon

4 - Lorde Thiombar - Dhedluk

3 - Ildul Stonegigante - Dhedluk

1 - Capitã Pirata Azla - Oresk

2 - Clérigo Gilbert - Aldeia Pé Descalço


- Eles fazem algumas cópias do Livro Vermelho. No final decidem se separar:

  • Delvar (Vicenzo) e Sold-Kur (harpista) voltam de carroça à Suzail na intenção de buscar os demais harpistas.

  • Milo (Ruy), Uther (Leonam), Maga Nolara, Bran Skorlsun (harpista) e Caelynn (Marcos Fon) seguem com alguns cavalos e a pônei tangerina para Kallamarn pela estrada principal.


- Milo (Ruy), Uther (Leonam), Maga Nolara, Bran Skorlsun (harpista) e Caelynn (Marcos Fon) encontram uma mulher morta na estrada, com ferimentos de perfuração e cortes. Eles são atacados por Arakocras. Com as artimanhas sugeridas por Milo de se esconderem sob as árvores, eles conseguem derrotar as criaturas sem dificuldade. Após o combate eles seguem para o norte. Milo encontra uma pérola e algumas azagaias.


- Delvar (Vicenzo) e Sold-Kur (harpista) chegam ao Horngate e mesmo com os disfarces propostos por Delvar a capitã do local comenta que há incitações de violência no Promade (rua no qual os portões de Horngate dão acesso). Eles são proibidos de entrar por ali. Eles seguem para o Field-gates, o portão à oeste da cidade, próximo ao templo de Moradin (do personagem Delvar). Lá eles são recebidos por um Purple Dragon chamado Saff que pede 50 peças de ouro para fazer o procedimento de lacrar as armas (peace-bonded weapon - vide informações extras). Delvar paga e consegue entrar na cidade, segundo para o palácio.


- Ao saírem pela entrada da taverna Seis Velas, Kayla (Esmeralda), Bela (Ana), a clériga Callie (Tymora), e Jonathan Demontier (O'Neill) vão para a antiga taverna da Capitã Haseid (localizada A9 no mapa). O local está abandonado desde a intervenção dos personagens na sessão 2 (Capitã Haseid está presa no palácio). O Deatsu (O'Neill), após aparecer nas ruas de Suzail, vai para uma taverna no Séquito do Oriente, uma bairro de Suzail (ele é de Kara-Thur, então talvez se sinta mais a vontade por lá).


Sessão 9:

- Milo (Ruy), Uther (Leonam), Maga Nolara, Bran Skorlsun (harpista) e Caelynn (Marcos Fon) seguem viagem para o norte pela Calantar's Way. Eles decidem acampar fora da estrada para descansar. Nada acontece. Eles encontraram um casal de idosos com uma carroça de melancias, e seguiram viagem. Ao chegarem na Calantar's Bridge eles veem guardas vigiando a ponte. Uther decide ir sozinho fingir estar confuso sobre a direção, na intenção de despistá-los quanto à presença do grupo. A capitã do local acha estranho e manda um soldado voltar com ele. Vendo isso o grupo segue para o oeste fora da estrada. Após algum tempo o soldado Purple Dragon retorna e Uther vai em direção ao grupo. Eles viajam por uma estrada não oficial na orla do rio Starwater até o ponto de encontrarem com um mensageiro. Ele diz algo sobre estar sem cavalos em Kallamarn (por conta dos Purple Dragons estarem requisitando todos) e segue seu caminho. Ao chegarem nas proximidades de Kallamarn, Bran Skorlsun e Caelynn entram na cidade sozinhos. Bran alega que vai procurar um conhecido chamado Erky, que fica no entreposto fluvial de Kallamarn. Bran e Caelynn tem suas armas bloqueadas (peace-bonded weapon) ao entrarem na cidade. Após um tempo um Purple Dragon vem verificar porque algumas pessoas ficaram na estrada. Eles disfarçam falando que estão sem dinheiro, ele volta e os personagens decidem entrar. Os Purple Dragons bloqueiam as armas de todos (peace-bonded weapon). Os personagens decidem ficar ao lado do walkway (passagem de madeira que quando puxada por cordas permite cruzar o rio). Todos começam a memorizar suas magias ali, descansando um pouco.


- Valygar (Tulio) chega à capela de Tymora no Palácio Real, e encontrando Capitã Olma conversando com um Purple Dragon. Eles se conhecem e Valygar diz ter chegado à cidade, orientado à procurá-la por Roscoe (Yan). Neste momento Delvar (Vicenzo) e Sold-Kur (harpista) chegam ao local. Eles vão conversar com o Clérigo de Tymora chamado Aelar, da capela, quando descobrem que o grupo harpista que ali esperava desceu por uma passagem subterrânea escondida na capela. Roscoe (Yan) chega à capela. Eles desceram por essa mesma passagem e seguiram até encontrar uma sala com mortos-vivos. Após o grupo derrotá-los, eles encontram:

  • Uma notificação de serviço em um dos mortos-vivos, aparentemente para o próprio, quando estava vivo. A notificação é de origem de Saszesk, que aparentemente este indivíduo deveria fazer uma entrega de pedras em caixas para uma embarcação que está próxima do porto de Suzail.

  • A madeira do caixão está com cheiro adocicado, que Roscoe lembra ser do Óleo Preservador, um dos itens utilizados nos feitiços do Livro Vermelho.

  • A carta 11 (vide nas informações extras, abaixo).


- Valygar (Tulio), Capitã Olma, Delvar (Vicenzo), Sold-Kur (harpista), Roscoe (Yan) investigam a sala. Delvar escuta a palavra "akinuske" pela porta oeste. Ao tentarem traduzir, perceber que significa "sai pra lá vagabundo", parecendo ser uma conversa entre duas criaturas que lá estão. A porta ao norte é bem resistente. Eles escutam passos na porta sul, e decidem seguir por ali. Eles encontram muitas portas e dois corredores, e ao investigarem uma porta mais ao oeste eles se deparam com uma criatura alta, de pele branca. A criatura se prepara para atacar.

A sessão termina aqui.


Sessão 10:

- Bran Skorlsun (harpista) e Caelynn (Marcos Fon) conversam com Erky no entreposto fluvial. Bran usa um pergaminho para perceber a intenção de Erky e assim deduz que ele não é um clone. Erky diz haver vários problemas em entregas falsas sendo realizadas em Suzail, todas destinadas à embarcações ancoradas há 1 ou 2 quilômetros ao sul da cidade (algumas mais próximas). Diz que há pessoas desaparecidas, tanto nas Minhas Saszesk, quanto na Taverna dos Lordes.


- Milo (Ruy), Uther (Leonam) e Maga Nolara tentam atravessar o walkway sem sucesso. Um Purple Dragon vem oferecer ajuda, e diz que há um senhor chamado Torador na Taverna dos Lordes que pode ajudar na travessia, e que ele está oferecendo empregos nas minas. Mile vai ao seu encontro, e chega a conversar com ele sobre o assunto, mas ao perceber que Bran Skorlsun (harpista) e Caelynn (Marcos Fon) estavam voltando, ele desiste de pedir ajuda. Caelynn atravessa os cavalos e todos voltam para o entreposto e se encontram com Erky. Eles perguntam quem está por trás das viagens/transações falsas, Erky responde que são os seguintes nomes:

  • Proprietário Saszesk

  • Erevan Sol (Trono de Ferro)

  • Ferreiro Furor

  • Chathi


- Erky é questionado sobre uma possível ajuda para conseguir uma embarcação para levá-los pelo Starwater (rio), saindo para o mar Dragonmere, e subindo pelo Wyvenrflow (rio) até Whellon, deixando os personagens na orla próxima da Aldeia Pé Descalço. Ele diz que legalmente isso seria rastreado, mas sugere uma opção não legal através do Barqueiro Duvamil. O único problema é que ele está desaparecido nas minas. Com um pergaminho oferecido por Erky, Milo envia uma mensagem para Goeon Stonepot, um clérigo de sua aldeia.


- Kayla (Esmeralda), Callie (clériga de Tymora) e Jonathan Demontier (O'Neill) acordam na taverna A9 pertos dos portos. Lá percebem que há uma movimentação de Purple Dragons colocando caixas em uma embarcação. Eles estão sendo ajudados por Capitão Halrach (ajudante dos harpistas). Eles escutam alguém entrando na dispensa da taverna, mas não veem que foi. Kayla percebe que há um vigilante da Taverna Seis Velas do lado de fora, que logo em seguida tenta entrar na taverna. Eles decidem fugir e conseguem antes dele conseguir entrar. Os três vão para a taverna Moça Risonha, e lá decidem ir ao palácio de Suzail atuar como espião contra a regente Alusair Obarskyr - eles vão fingir que não sabem de nada, e continuar seguindo suas ordens.


- Valygar (Tulio), Capitã Olma, Delvar (Vicenzo), Sold-Kur (harpista), Roscoe (Yan) derrotam o inimigo alto de pele clara que encontram na sala. Eles então segue o corredor para o norte e se deparam com uma sala com alguns caixões e 5 goblins que são rapidamente derrotados. Os caixões estão vazios. Na sala eles encontram vasilhames de barro com Óleo Preservador, duas cartas (de número 1 e 5, vide abaixo), uma espada com bainha e empunhadura negra, entoando uma nota dissonante, e um grimório. Roscoe pega a espada e o grimório. Ao investigar uma porta no canto inferior leste da sala, Valygar é pego por uma explosão, mas sobrevive. Eles seguem para escadas que ficam ao norte encontrando uma grande sala com 4 caixões de pedra.

A sessão termina.


Sessão 11:

- Bela (Ana) chega à frente do Intento de Proskur com a intenção de investigar o que o Arquiclérigo Mzentul havia pedido. Lá está o Clérigo Jassan em companhia de Azrael (Dlemarcos), que também estava com intenção de investigar o lugar. O Clérigo Jassan os deixa ali e combina de encontrá-los nas Cotações de Taverant (34). Ambos entram em momentos diferentes e percebem que o local destoa um pouco das tavernas da cidade. Bela (Ana) se oferece para trabalhar na cozinha e vai conversar com Leonara Obarstal, a responsável pelo local. Bela (Ana) segue para a cozinha e percebe que há uma mão humanoide, provavelmente humana, entre as carnes. Azrael (Dlemarcos) oferece para trabalhar em "missões" ainda não esclarecidas. Ao conversar com Leonara Obarstal, ela pede para ele "faça o que tem que ser feito", indicando uma senhora moribunda presa em uma cômodo. Azrael (Dlemarcos) mata a senhora e é enviado para os fundos do local para falar com Lakal, e entregar o corpo da senhora morta. Chegando lá Lakal lhe pergunta "corte afiado", e fica esperando por uma resposta. Azrael (Dlemarcos) fala que não conhece a senha, e então Lakal lhe leva até uma sala. Ao abrir a porta Azrael (Dlemarcos) nota 3 zumbis e 1 Guardião da Cripta. Quando ele vai jogar o corpo Lakal tenta lhe empurar. Agilmente ele se desvia e empurra Lakal para dentro da sala e o prende. Andando pelo local ele conversa com uma moça que logo abre uma outra porta, onde havia um caixão e mais um Guardião da Cripta. Azrael (Dlemarcos) volta por onde veio correndo até a cozinha e conta tudo para Bela. Ambos saem do Intento de Proskur juntos e seguem em direção à loja Cotações de Taverant (34).


- Bran Skorlsun (harpista), Maga Nolara, Caelynn (Marcos Fon), Uther (Leonam) e Mile (Ruy) estão com Erky no entreposto fluvial. Mile (Ruy) mandou uma mensagem para Goeon Stonepot (um clérigo de Pé Descalço) via pergaminho oferecido por Erky:


"Sou o Milo. Conspiração está substituindo a regente de Suzail e outras pessoas por impostores. Pretendem substituir Gilbert. Impostores são mágicos e tem as memórias."


- Uther (Leonam) e Mile (Ruy) vão à Taverna dos Lordes para conversar com Torador para conseguir empregos (fingir) e conseguir entrar nas Minas Sazesk. Lá Torador oferece uma missão ao Sul, com intuito de "buscar uma informação em uma casa ao Sul, onde há uma pessoa que aparentemente deveria ter vindo entregar tal informação, mas até agora não retornou", e oferece o serviço na mina. Ambos topam, mas querem seguir para a mina primeiro. Torador os leva para uma grande sala subterrânea, lhes entrega os contratos e pede que eles deixem as armas (ambos escondem algumas coisas consigo). Eles são direcionados às minas para falar com Rupastro. Chegando lá eles são encaminhados à uma caverna para começar os trabalhos. Eles são informados que há pessoas nas cavernas mais no interior, e que há um halfling por lá. Mile (Ruy) entra mais à fundo nas cavernas, e chega a ver um goblin desarmado. Ele segue investigando.


- Caelynn (Marcos Fon) faz uma pesquisa junto à Bran, sobre ataques Goblins na região. Ela obtém essas informações:

  • Há um pequeno grupo de goblins atacando viajantes solitários na Estrada da Mantícoram entre 15 a 20 quilômetros à leste de Gladehap. Parecem ser 2 ou 3 goglins. Já foram encontrados mortos no lugar.

  • Foi visto um goblin shaman a 10km ao sul de Kallamarn. Parece que ele se esconde em uma cabana que está registrada no nome de Tuco (um carroceiro entregador de mercadorias entre Kallamarn e Suzail).

  • Foi visto um grupo de goblins escalandoa montanha das Minas Saszesk (pátio de secagem das pedras - número 10).

  • Um goblin flautista foi visto no alto das montanhas das maças Pomar Kallamarn Catsheads, perto da cidade de Kallamarn, à 1 quilômetro ao oeste.


- Caelynn vai à Forja Turcan para comprar óleo e itens. Ao conversar com o Anão Turcan, ela percebe que há alguma coisa relacionada aos cavalos (quando Caelynn pergunta). Ele pisca o olho e lhe entrega um bilheta dizendo "Não se meta nisso". Ela volta ao entreposto fluvial. Neste meio tempo Maga Nolara foi à prefeitura de Kallamarn.


- Valygar (Tulio), Capitã Olma, Delvar (Vicenzo), Sold-Kur (harpista), Roscoe (Yan) continuam investigando os túneis subterrâneos abaixo do Palácio de Suzail. Eles descobrem alguns caixões vazios, e avançando mais encontram mais dois caixões, aparentemente ocupados e com o cheiro adocicado do Óleo Preservador. Em um deles há apoiada uma espada de um Purple Dragon. Delvar (Vicenzo) acha dois baús. Em ambos os baús ele encontra:

  • 1x Ametista (cristal roxo)

  • 10x Olho de Ágata (pedra verde)


- Delvar (Vicenzo) abre o caixão ao sul da sala. Dentro dele havia uma serpente atravessando a boca e garganta de Július Sol, um Major dos Purple Dragons. Após lidar com a serpente, Delvar (Vicenzo) salva Július Sol. Neste momento os outros personagens avisam que um mago está chegando pelas escadas. Há um combate, e eles vencem um mago (Calamantor). Delvar (Vicenzo) começa a investigar o corpo do mago.


Sessão 12:

- Deatsu (O'Neill) acorda em uma pousada no Séquito do Oriente. Ao sair se depara com um Purple Dragon agredindo Elrian Nailo (Cristiano) na rua. Ao se aproximar o Purple Dragon comenta que Elrian estava atrapalhando nas atividades de embarque de mercadorias no porto, e que mandaram trazê-lo até o Séquito, e entregá-lo à Maga Ajor. Deatsu se oferece para conseguir um emprego e ajuda o Purple Dragon a levar Elrian para dentro do Séquito. Em uma das salas internas do Séquito Deatsu vê a Maga Shandri estudando algo em uma mesa (esta foi a maga que matou Deatsu na passagem subterrânea do Estoque do Trono de Ferro, há alguns dias). Ela não o nota, e eles seguem para uma passagem subterrânea sob o Séquito. Chegando lá são recebidos por Intendente Beiro, que os leva até a Maga Ajor. Elrian fica com a maga. Eles iniciam uma conversa, em que a Maga Ajor explica a Elrian que ele poderá se tornar um clone de alguém, e terá benefícios com isso. Ele não concorda, e então ela oferece a ele um serviço para buscar alguém. Ao aceitar, Elrian Nailo recebe da maga um pássaro de barro que, segunda ela disse, ao ser quebrado, indicará a localização da pessoa que ele deve trazer até ela. No fim da conversa a Maga Ajor avisa a Elrian que Deatsu estava na forja ao lado, no subterrâneo do Séquito (ela o vê pelos olhos de 2 golens). Deatsu vai até a forja tentar arrumar um trabalho. Lá ele encontra com Ferreiro Furor, que o testa com um golpe. Deatsu defende com perfeição. O ferreiro demonstra interesse em oferecer o cargo a Deatsu. Elrian chega e fala com Deatsu que precisa de sua ajuda.


- Milo (Ruy) avança pelas minas, mata um goblin e encontra Barqueiro Duvamil sendo agredido por outro goblin. Ele consegue salvá-lo, encontra uns itens no baú e pede que ele espere no local. Os itens são:

  • Espada curta de prata

  • Manto de tecido marrom-escuro, tem cheiro de excremento

  • Corda de cânhamo (15 metros)

  • Uma pérola azulada que brilha

  • 27 peças de ouro

  • 2 adagas enferrujadas


- Milo (Ruy) segue para o norte e encontra alguns aldeões e a Clériga Isakis (uma noviça da Aldeia Pé Descalço) presos por corda, sendo levados por 1 goblin (chamado Pimenta), 1 homem grande chamado Torresmo, e 1 Purple Dragon. Milo finge que vai ajudar na carga e pede a Torresmo para indicar o caminho. Ele foi bem persuasivo e conseguiu descobrir que deve seguir a direita. Ele pede que o goblin Pimenta vá ajudá-lo. Ao adentrar nos corredores à direita, Milo mata Pimenta, e vê na saída da caverna outros 2 goblins vigiando cavalos, uma carroça com barris sendo mantida por um Vigia do Trono de Ferro, e uma carroça-prisão sendo mantida por um Purple Dragon. Milo chama os Goblins mentido e consegue matar os dois. Ele volta pela caverna e mente novamente dizendo que os Goblins atacaram todos (Milo estava ferido). Torresmo e o Purple Dragon seguem pelo corredor. Milo aproveita e consegue soltar todos, pedindo que eles corressem para a saída da caverna que dá para as ruas de Kallamarn. A fuga foi tão intensa que os mineiros acharam que era uma espécie de motim, e se juntaram para matar Rupastro, o vigilante do local. Milo, Uther (Leonam), a Clériga Isakis, o Barqueiro Duvamil, e alguns aldeões fogem das Minas Saszesk e voltam furtivos para o entreposto fluvial de Erky.


- Delvar (Vicenzo), Roscoe (Yan), Valygar (Túlio), Sold-Kur, e Capitã Olma continuam investigando a sala com os dois caixões. No outro caixão eles acham um Lorde das Stonelands chamado Malask Huntinghorn. Ele e Július Sol ainda ficam letárgicos após serem libertos. Eles colocam Malask Huntinghorn e Július Sol em caixões vazios na outra sala próxima. Eles investigam o corpo do Mago Calamantor e encontram uma carta (vide Carta ao Mago Calamantor nas informações extras), um grimório (que fica com Valygar), e uma Bolsa do Espaço Infinito. Eles investigam o outro baú da sala e encontram:

  • uma Poção de Coloração azul cintilante

  • Par de manoplas de couro. Roscoe (Yan) as veste e perceber que são Manoplas da Destreza.

  • 353 peças de prata


- Eles voltam pelos túneis e investigam uma porta mais ao sul. Escutam vozes. Tentam arrombá-la. Isso alarma dois soldados que correm para dar a volta por outro lugar. Nesse meio tempo, Delvar (Vicenzo) bloqueia a porta por onde os soldados chegarão com uma mesa. Roscoe (Yan) avança pela porta onde estavam os soldados, descobri um cômodo de dormir (pega uma farda Purple Dragon), e descobri em seguida uma casa de armas. Sold-Kur vai buscar Malask Huntinghorn e Július Sol. Valygar (Túlio) e Capitã Olma ficam no dormitório.


Sessão 13:

- Caelynn (Marcos Fon) se encontra com Maga Nolara, e ela a informa que Senhor Rutos, prefeito Kallamarn, está tendo um comportamento estranho, como se estivesse com o corpo queimando, e perdeu o controle da cidade, ficou desorganizado. Ela avisa também que dois Applepickers (os apanhadores de maçãs) desaparecerem quando subiram a montanha das macieiras ao oeste da vila. Caelynn (Marcos Fon) e Maga Nolara vão ao monte das macieiras de cavalo. Lá elas deixam o cavalo afastado, e elas escutam uma música tocada por flauta. A coruja Gal visualiza um goblin, e ataca. Elas conseguem matar o goblin. Caelynn (Marcos Fon) pega uma flauta de bambu e fica se sentido estranha, perdendo 1 ponto de vida. Ela sente uma queimação no braço, fica com uma percepção extrassensorial das plantas ao redor, e ela não consegue soltá-la. Há três Applepickers confusos que estavam presos. Eles agradecem. O goblin tinha uma carta:

Flautista, leve as pessoas para a saída leste das minas de Saszesk - Um dos Applepickers rouba Caelynn (Marcos Fon), Nolara percebe e Caelynn consegue recuperar as moedas. Quando os outros percebem que Caelynn havia sido roubada, eles falam que depois que o ladrão começou a trabalhar com o novo líder comercial chamado Soral, ele ficou assim (roubando). Nolara diz que este senhor Soral fica na prefeitura de Kallamarn. Ela foi atendida por ele - um senhor que tem administrado algumas questões da prefeitura após a "doença" do prefeito Rutos.

- Ao voltar para o entreposto comercial, Caelynn (Marcos Fon) e Nolara se encontram com Milo (Ruy), Uther (Leonam), a Clériga Isakis, e o Barqueiro Duvamil chegando de volta das minas Saszesk. Nolara comenta que não conseguiu vender os cavalos na prefeitura. Eles entram no entreposto e Milo explica tudo que aconteceu.

- Clériga Isakis, uma clériga noviça da aldeia Pé Descalço, comenta que há um acampamento chamado Miríade há alguns quilômetros ao noroeste de Whellon. Parece que eles estão mantendo pessoas presas por lá, inclusive alguns Halflings que ela tentou resgatar, mas acabou sendo pega e fugiu pela Estrada da Mantícora até chegar em Kallamarn. Neste acampamento Miríade há Purple Dragons, goblins, e pessoas presas em grades.

- Milo (Ruy) faz planos de conversar com Torador na Taverna dos Lordes e depois ir ao sul para uma missão que ele havia dito. Ele pede para Barqueiro Duvamil organizar um barco para descer pelo Starwater até o Dragonmere e depois subir pelo Wyverflow, deixá-los perto da aldeia Pé Descalço, e continuar subindo até Whellon. Ele mostra os tipos de barco existentes.



- Barqueiro Duvamil comenta que quando uma embarcação menor ou média chega ao Dragonmere geralmente as mercadorias são transferidas para uma embarcação maior, uma caravela de Marsember. Quando isso não é feito, é necessário pagar uma taxa (60po) para Marsember. Barqueiro Duvamil diz que vai esconder todos e tentar fazer a travessia da viagem sem que ninguém os veja. Ele diz que vai contratar outros dois tripulantes. Milo (Ruy) dá uma pérola para ele para pagar tudo.

- Eles combinam de Mile e Uther descer até a taverna e na missão do Torador. Já Caelynn, Clériga Isakis e Nolara vão investigar melhor a prefeitura ou a casa do líder comercial Soral, e o Barqueiro Duvamil contratará 2 tripulantes da cidade. Caelynn, Clériga Isakis e Nolara depois vão tentar quebrar o Walkway (ponte de cordas da cidade) e entrar no barco de Duvamil com a pônei Tangerina, e esperar todos há 5 quilômetros ao leste no Starwater, onde eles vão se encontrar com Mile e Uther.


- Bela (Ana) e Azrael (Dlemarcos) entram no câmbio Cotações de Taverant (34) para procurar o Clérigo Jassan. O senhor Taverant os recebe bem, diz que já ouviu falar de Bela em Daggerford. Ele oferece um trabalho para Bela (Ana): ele comenta que pretende estabelecer um comércio com a cidade Telflamm, no reino de Thesk, no extremo leste do Sea of Fallen Stars (mar central de Faerûn), e que há uma grande embarcação organiza pelo Trono de Ferro. A embarcação se chama Mantichor, e aparentemente vai transportar pessoas de Kara-Tur do Séquito do Oriente e alguns Thayanos até a cidade Telflamm. Taverant oferece duas tradebars (cada uma no valor de 25 peças de ouro). Ele entrega um papel à Bela - este papel possui mecanismos de segurança necessários para trafegar os itens. Ele pretende trazer itens exóticos de Telflamm até Suzail quando o barco voltar.


- Delvar (Vicenzo), Roscoe (Yan), Valygar (Túlio), Sold-Kur, e Capitã Olma continuam investigando os túneis subterrâneos. Delvar (Vicenzo) está em combate com 2 soldados Purple Dragons. Ele derrota ambos. Roscoe (Yan) descobri que uma passagem mais ao sul segue para algo que parece ser uma taverna. Ele encontra um Guardião da Cripta protegendo 4 tumbas, mas consegue fugir. Delvar (Vicenzo) ajuda os dois soldados derrotados, pois eles estão sofrendo com as pernas quebradas.

- Roscoe (Yan) encontrou a sala do mago Calamantor, onde havia vários itens.

  • O primeiro deles era um mapa náutico, mostrando duas marcações: um ao noroeste de Whellon (o mesmo ponto da Miríade, e o mesmo ponto da Lágrima de Selûne aprendido por Jonathan, personagem do O'Neill); e um na cidade Telflamm, em Thesk. Tem uma rota saindo de Suzail para Telflamm, passando por uma ilha no meio da Sea of Fallen Stars.

  • CARTA: Formas de Detectar se é um clone: 1- Detectar Magia. Uma forma não 100% confiável, mas simples de ser realizada é através da magia Detectar Magia (1º Círculo). O clone criado sob as circunstâncias expostas no Livro Vermelho está sendo “comandado” através da magia "O Comando de Dazaglaros", que é da escola de Necromancia. Um mago bem-sucedido no Detectar Magia pode (10% de chance por nível) perceber a Escola da magia. Neste caso, supondo que a pessoa não esteja de posse de nenhum item mágico necromântico, há um indício de que ela possa ser um clone.

  • CARTA: Formas de Detectar se é um clone: 5- Desejo e Desejo Restrito. Obviamente que a magia Desejo (9º Círculo) seria capaz não só de perceber que um indivíduo é um clone, como também seria capaz de acordar o original do transe no caixão para que o mesmo se rebelasse contras seus raptores. Não há ninguém em Cormyr que saiba conjurar essa magia. A magia Desejo Restrito (7º Círculo) poderia reverter também esta situação, mas de forma temporária. A única maga de Cormyr que possui Desejo Restrito, segundo as anotações oficiais das bibliotecas de Suzail, é Laspeera Inthré (que segundo o Livro Vermelho, foi clonada).

  • CARTA: Formas de Detectar se é um clone: 6- Detectar Observação. Um clone criado sob os textos do Livro Vermelho está em constante observação a partir do conjurador da magia "Olho Arcano de Bustoromir". Isso proporciona um cenário factível para a magia Detectar Observação (4º Círculo) seja usada. Neste caso, além de perceber que há um terceiro interlocutor na interação com o clone, o conjurador comandando o clone tem a chance de ter sua localização descoberta (se falhar em um teste de resistência a magia).

  • E as cartas 4 e 8 (vide abaixo, no resumo das cartas).

  • Um livro com autorizações comerciais entre o Séquito do Oriente e Telflamm. São transações de produtos, mas abaixo de cada produto há rasurado nomes de pessoas, como se fossem compradas "passagens" para produtos, mas na prática estivessem sendo levadas pessoas do Séquito do Oriente para Telflamm de forma escondida. Os nomes são orientais de Kara-Tur.

  • Um diário do mago Calamantor (não lido).

  • Um livro chamado "Vegetação Nativa das Stonelands", com uma anotação escrita "A Roseira está aqui" apontando para um local no mapa chamado "Abandoned Keep". A grafia esta na mesma caligrafia dos nomes anotados no livro de transações.

- Delvar (Vicenzo) e Roscoe (Yan) acham uma sala de uma prisão. Há um piso falso na prisão, onde há um bilhete escrito "Na sala dos zumbis, na porta norte, há um baú". Eles avançam para a porta norte e encontram um local para guardar alimentos, sendo que todos estão velhos e estragados. Eles avançam e encontram um baú que esta aberto. No baú eles encontram:

  • Periapto de Prata com rubi vermelho

  • 3x Águas marinhas azuladas (pedras preciosas)

  • 2x Poções de coloração vermelha

  • 140 peças de ouro

  • 180 peças de prata

- Roscoe (Yan) pega o Periapto e começa a vomitar bastante. Delvar (Vicenzo) tenta tirar o medalhão virando Roscoe. O medalhão cai, mas o mal-estar não passa.

A sessão encerra.


Sessão 14:

- Delvar (Vicenzo), Roscoe (Yan), Valygar (Túlio), Sold-Kur, e Capitã Olma continuam investigando os túneis subterrâneos. Delvar pede para ler o diário do mago Calamantor, que diz o seguinte:


Diário do mago Calamantor. Anotações sobre os túneis inundados sobre as Seis Velas: Há uma passagem subterrânea a partir das masmorras, sob a taverna Seis Velas, que leva a uma tubulação de esgotos na parte oeste da cidade de Suzail. Chegamos a usá-los por um tempo para transportar itens e goblins para cá, mas o local todo inundou depois que um Crocodilo rompeu uma das paredes dos esgotos. Conseguimos afugentá-lo, mas parte da entrada dos túneis ficaram inundados dificultado a passagem. O goblins não quiseram passar novamente por ali. Dizem ouvir os lamentos do “Copo-Furado”, seu antigo líder, de dentro da barriga do monstro. Enviei um vigilante do Trono de Ferro para verificar o túnel. Ele conseguiu chegar aos portos, e disse que há alguns barcos por ali, mas que a entrada inundada será difícil de consertar. A água inclusive invadiu a sala ao norte e matou alguns voluntários à clonagem. Por algum motivo que desconheço eles se transformaram em mortos-vivos.


- Delvar (Vicenzo) e Roscoe (Yan) acham a passagem secreta que supostamente dá ao túnel inundado na sala dos mantimentos podres, mas ao perceberem que sua entrada está toda alagada decidem não investigá-la. Eles bolam um plano de botar fogo em vários objetos e, no momento da confusão do incêndio alguns vigilantes da taverna entram para verificar em meio a gritos de "fogo" deferidos desesperadamente pelos personagens. Eles carregam Malask Huntinghorn e Július Sol, ainda letárgicos, enrolados em panos. As pessoas da taverna começa a fugir orientadas pelos vigilantes. Todos os personagens conseguem conseguem sair. Romero (O'Neill), um clérigo que estava cantando na taverna, segue junto com os personagens. Enquanto eles fugiam, um senhor chamado de "Proprietário Saszesk" (Romero o conhece) estava olhando para seus rostos, mas nada fez para impedi-los. Os personagens ganham as ruas de Suzail.


- Bela (Ana) e Azrael (Dlemarcos) continuam no câmbio Cotações de Taverant (34) com Clérigo Jassan. Quando eles estavam saindo, Taverant fala com eles que há uma outra missão que talvez eles gostariam de ingressar. Ele conta que precisa recuperar uma relíquia supostamente roubada por um Necromante chamado de Deltrin Everet, de Marsember. O nome da relíquia é Olho de Myrkul é uma orbe negra presa em um cajado. Taverant comenta que há um "cliente" interessado em comprá-la, que já contratou Tordek (Ricardo) e Burgell (Paulo) para recuperá-la. Bela (Ana) e Azrael (Dlemarcos) concordam em ingressar na missão. Bela diz que deixará a missão do Mantichor, mas Taverant insiste que ela continue, e ela aceita. Azrael diz que não venderá a relíquia Olho de Myrkul. Taverant diz que isso não seria um problema, o que ele precisa exatamente é informar ao seu "cliente" onde está essa relíquia, e que a negociação com esse "cliente" sobre a venda ele não terá envolvimento. Ficará a cargo do templo de Azrael vendê-lo ou não, mas que Taverant precisa ter certeza onde está tal relíquia. Ele diz que a suposta localização do esconderijo de Deltrin Everet fica em um forte abandonado na costa leste de Cormyr, entre a Estrada Dragoneye (que liga Suzail a Marsember) e o mar Dragonmere, mas a localização exata é desconhecida. Bela (Ana), Azrael (Dlemarcos) e Clérigo Jassan deixam o local em direção às Torres da Boa Fortuna, templo de Tymora. Tordek (Ricardo) e Burgell (Paulo) deixam o local e seguem para a taverna Intento de Proskur.


- Kayla (Esmeralda) e Jonathan Demontier (O'Neill) chegam ao Palácio de Suzail para se encontrar com a regente. Eles são recepcionados por um Purple Dragon que os avisa de alguns traidores que supostamente atacaram a mansão dos Lordes Stonelands. Eles entram e encontram a regente Alusair Obarskyr na Sala do Trono. O Malask Huntinghorn estava passando muito mal, e foi acudido por dois soldados e elevado para as acomodações da regente. Alusair reclama que eles demoraram muito para aparecer e pergunta onde esta os demais. Sem obter uma resposta direta, ela passa a seguinte missão:


Ir à mansão dos Stonelands (pelo portal ou andando) e interrogar a Harpista Rora Kalter sobre o paradeiro da Falange Dourada Shadar-kai. Depois trazer essa informação a própria regente.


- Kayla (Esmeralda) e Jonathan Demontier (O'Neill) deixam a Sala do Trono e vão à capela de Tymora no Palácio de Suzail procurar Bela. Lá o Clérigo Aelar (Tymora) diz que Bela saiu dali com ela pelos túneis subterrâneos, mas não regressou desde então. Jonathan Demontier (O'Neill) pergunta onde está "aquele de olhos puxados", Aelar supõe ser Deatsu e responde que não sabe. Kayla (Esmeralda) onde Bela poderia estar. Aelar diz que ouviu uma conversa de que Bela chegou a ir às Torres da Boa Fortuna (Tymora) levar um amigo que pereceu em combate. Kayla (Esmeralda) e Jonathan Demontier (O'Neill) seguem para as Torres da Boa Fortuna (Tymora) e não encontram dificuldades para chegar até lá.


- Bela (Ana), Azrael (Dlemarcos), Kayla (Esmeralda) e Jonathan Demontier (O'Neill) chegam juntos às Torres da Boa Fortuna, grande Templo de Tymora de Suzail. Lá são recebidos pelo Arquiclérigo Mzentul. Kayla comenta com Bela sobre a missão da Falange Dourada Shadar-kai. Bela sabe que:


A Falange Dourada Shadar-kai é uma ossada das mãos de uma fadas das sombras, também chamada de Shadar-kai, que segundo as lendas é capaz de transformar todos os ossos de um indivíduo em ouro puro. Segundo a lenda ela deverá ser utilizada em um ritual. Bela sabe que as Shadar-kai são de Shadowfell e utilizam-se de runas conhecidas como Runas Blackstone para abrir portais entre o Plano Material e Shadowfell.


- Bela (Ana) não comenta esses detalhes com ninguém por enquanto. Arquiclérigo Mzentul os leva até uma sala reservada para saber do resultado da missão de Bela (Ana) e Azrael (Dlemarcos). Kayla (Esmeralda) e Jonathan Demontier (O'Neill) os acompanham. Após informarem o que descobriram, Mzentul comenta que vai procurar pela maga Caladnei na Biblioteca Vangerdahast no palácio de Suzail, e pede para eles a acompanharem. Bela diz que vai para o templo de Baset, e Azrael disse que tem outros compromissos, que não pode perder tempo com isso. Mzentul recomenda cuidado, pois a cidade está perigosa.


- Tordek (Ricardo) e Burgell (Paulo) chegam à taverna Intento de Proskur, pedem algumas coisas, e se sentam. Em determinado momento eles se aproximaram de um mago Thayano chamado Murith Garas. Burgell (Paulo) derrama cerveja no manto do mago, que logo conjura uma magia e deixa Burgell (Paulo) cego. Ambos fogem da taverna e seguem em direção ao templo de Baset. Chegando lá são recebidos por Tabaxi Lotus. Eles falam que conhecem Bela e pedem ajuda para curar Burgell (Paulo). A Clériga Raskulnar o leva até o centro do local e no momento em que está se preparando para curá-lo, percebe intenções malignas nele, fica abalada e fala que não poderá curá-lo, pois Baset a reprovaria intensamente caso o fizesse. Eles saem do local indignados, com algumas palavras brandas de amaça ao templo. Tabaxi Lotus termina a cena conversando algo com a Clériga Raskulnar.


- Delvar (Vicenzo), Roscoe (Yan), Valygar (Túlio), Sold-Kur, Capitã Olma, Romero (O'Neill), carregando Malask Huntinghorn e Július Sol, são interpelados por dois Netherenses. Um deles carrega um tapete. Eles pedem ajuda e dizem estar precisando de ajuda, mas não explicam o motivo. Eles ficam hostis, e Roscoe (Yan) ataca um deles pelas costas. No momento do ataque, a Espada de Lâmina preta que Roscoe achou nas dungeons surge em sua mão misteriosamente. Ele a usa e consegue atacar. O Netherense joga o tapete em Capitã Olma, mas Delvar (Vicenzo) entra na frente. Ele fica incomodado com algum efeito mágico de paralisia, mas resiste. O tapete cai no chão e se desintegra. Ambos Netherenses fogem. O grupo chega às Torres da Boa Fortuna no momento em que Bela (Ana), Azrael (Dlemarcos), Kayla (Esmeralda), Jonathan Demontier (O'Neill) e o Arquiclérigo Mzentul estavam saindo. Logo o Arquiclérigo percebe que Roscoe (Yan) estava amaldiçoado por um item chamado Periapto do Apodrecimento. Ele explica o seguinte:


Periapto do Apodrecimento: Essa pedra entalhada parece ser uma joia de pouco valor. O personagem que a pegar para si será acometido de uma terrível doença do apodrecimento, que só pode ser removida através de uma Remover Maldições, seguida de Curar Doenças e então uma Cura Completa, Desejo Restrito ou Desejo. O apodrecimento também poderá ser curado esmagando-se um periapto da saúde e espalhando os fragmentos sobre a pessoa afetada. Caso contrário, a vítima perde 1 ponto de Destreza, Constituição e Carisma por semana, a partir da semana seguinte à aquisição do objeto. Quando qualquer uma dessas habilidades chegar a 0, o personagem morrerá. Todos os pontos perdidos devido à doença são permanentes, independente de uma cura posterior.


- Arquiclérigo Mzentul e Bela (Ana) levam Roscoe (Yan) para dentro para curá-lo. Bela ajuda na cura. Mzentul comenta que todas as curas vão custar 5000 peças de ouro, ou uma missão. Roscoe aceita a missão - que basicamente é ir até o palácio de Suzail falar com Caladnei. Após a cura, Roscoe comenta da possibilidade de transferir a maldição da espada para umas adagas, ou outra arma. Mzentul comenta que Caladnei poderá ajudar.


- Ainda no templo, próximo do altar, Delvar (Vicenzo), Valygar (Túlio), Sold-Kur, Capitã Olma, Romero (O'Neill), Azrael (Dlemarcos), Kayla (Esmeralda), Jonathan Demontier (O'Neill) iniciam uma conversa logo que Malask Huntinghorn e Július Sol começam a acordar. Malask Huntinghorn reconhece Kayla (Esmeralda), dizendo que seu irmão Darvaer Huntinghorn pegou vários empréstimos ilegais em Arabel, cidade de Kayla, e culpou várias famílias de lá. Ele disse que sentia muito por isso que vai fazer o possível para ajudar Kayla. Delvar (Vicenzo) pergunta se Malask Huntinghorn conhece uma frase "A Roseira está aqui". Ele diz que há uma estátua de uma moça, com três metros de altura, portando uma espada e tirando a própria vida, ficando a espada no peito. Tal estátua não traz o nome do escultor em sua base, e ninguém conhece sua história. Ela, porém, está cercada de rosas que cobrem parte de seu corpo. Isso fez com que os moradores do local onde ela se encontra a chamassem de "Roseira". A estátua da Roseira está localizada na Abandoned Keep que fica localizada nas Stonelands, a noroeste de Suzail. O local supostamente está abandonado, mas localizada na região mantida pelos Lordes da família Huntinghorn.

A sessão termina.


Sessão 15:

- Deatsu (O'Neill) e Elrian Nailo (Cristiano) estão na forja de Furor, no subterrâneo do Séquito do Oriente. Elrian procura comprar armas direto nesta forja, mas o Intendente Beiro comenta que as vendas aqui são em grande quantidade, não em comercialização direta. Ao sair pelo Séquito, Deatsu se esconde e não é visto pela Feiticeira Shandri. Elrian Nailo (Cristiano) quebra o pássaro de barro, que vira um pássaro real e voa para noroeste. Eles seguem pelas ruas de baixo, próximo dos portos. No caminho eles veem um Netherense batendo em um morador da Suzail. Eles ignoram e seguem até a taverna Roda das Lamentações (14 no mapa). Eles entram na taverna seguindo o pássaro até um senhor chamado Mestre Momoi. O pássaro caí morto no chão (indicando que aquele senhor é quem eles devem buscar). Mestre Momoi recebe ambos e pede eles para sentar. Ele é deficiente visual. Ele diz sentir o cheiro dos diferentes aços entre o aço da Katana de Kara-Tur, e da espada longa do ocidente, que o elfo carrega (ele percebe que Elrian é elfo pelos passos). Ele diz ser um mestre da arte da espada. Quando Deatsu conta que eles estavam seguindo o pássaro para procurá-lo, ele comenta que esta é uma técnica chamada Nuama-Mathora, o pássaro senciente, muito utilizada no oriente. Com base nisso Momoi já deduz que quem os enviou foi a Maga Ajor, para levá-lo como matéria prima utilizada no ritual de clonagem. Mestre Momoi oferece a eles uma última aula sobre uma técnica da espada, Luta às Cegas (uma perícia do AD&D). Ele dá uma lição a Deatsu sobre "tomar ou não partido de suas ações, que se ele se mantiver assim, chegará um momento que não será mais possível se posicionar". Os três saem da taverna e Mestre Momoi inicia o treinamento, vendando os olhos de Deatsu (O'Neill) e Elrian Nailo (Cristiano). Eles começam treinando, e Momoi diz que se continuarem treinando, serão peritos (mecanicamente os personagens precisam usar tempo de jogo treinando). No final ele pede que eles entregem sua espada à Sensei Aranis, que está prestes a viajar para o leste em uma grande embarcação chamada Mantichor, saindo dos portos de Suzail.


- Caelynn (Marcos Fon), Nolara, Milo (Ruy), Uther (Leonam), Clériga Isakis, Barqueiro Duvamil e Erky estão no entreposto fluvial de Kallamarn. Milo (Ruy) e Uther (Leonam) seguem para a Taverna dos Lordes para falar com Torador. Durante a passagem pelo Walkway, Milo conjura um poder especial para aumentar sua força. Chegando à taverna eles falam com Torador que houve uma rebelião nas Minas de Saszesk, contando que os goblins atacaram todos. Torador achou estranho, mas pede para os soldados verificarem. Ele pede que Milo (Ruy) e Uther (Leonam) subam para serem tratados dos ferimentos. Eles falam que não precisam, então eles ficam em uma mesa comendo. Uther repara que a barda da taverna (de nome Ronara) está fazendo um sinal para eles irem embora. Além disso ele percebe que os Purple Dragons não prestam atenção neles. Um deles, que está vigiando as escadas para o andar superior, está com a farda desalinhada. Milo faz um poder de perceber o mal, percebendo que Torador e uma região no subterrâneo estão carregados de intenções malignas. Uther observa melhor a barda Ronara. Ela parece não ser de Kallamarn, pois possui uma coloração de pele abronzeada, com roupas diferentes. Torador volta e pede desculpa pelo problema nas minas, e lhes dá um mapa com a localização do local onde eles devem realizar a missão, ao sul.


Missão: a 5km ao sul há uma casa onde supostamente um rapaz chamado Tuco está escondido. Este rapaz deveria ter trazido ao Torador uma informação a respeito da situação de uma casa localizada nas proximidades de Suzail. Até o momento ele não trouxe. Torador pede que eles vão aos local buscar tal informação e neutralizar Tuco. Essa casa fica no campo, escondida, onde Tuco deveria ter mantido alguns itens que ele leva para Suzail.


- Milo (Ruy) e Uther (Leonam) pedem a descrição de Tuco. Quando Torador dá os detalhes, ambos percebem tratar-se da pessoa que eles viram chegando com uma carruagem com Kallamarn Catsheads (maçãs verdes) próximo da casa do Senhor dos Olhos que eles atearam fogo. Na ocasião, quando Tuco percebeu que o lugar estava em chamas, simplesmente fugiu. Na época Mile achou uma maçã que caiu da carruagem. Milo (Ruy) e Uther (Leonam) recebem suas armas de volta, e eles saem da taverna. Torador diz que pagará 25 moedas de ouro após o serviço. Uther (Leonam) faz um sinal para a Barda Ronara que está saindo. Torador pede que o Dragão Púrpura Larauto (o que está bagunçado, fedendo a álcool) os acompanhe na missão. Saindo da taverna Uther (Leonam) vê Barda Ronara perto de uma árvore. Ele vai se encontrar com ela. Ela fala o seguinte: "Cuidado! Cuidado, os estrangeiros estão sendo raptados nesta cidade. Eu quero tentar sair daqui." Quando Uther (Leonam) está próximo dela o sabre com a Runa Blackstone que ele carrega está vibrando. A Barda Ronara tira uma adaga de sua algibeira. A arma também está vibrando. Após questionada sobre o que é aquilo ela diz não saber, que pegou em suas viagens. Ela diz que veio das Stonelands, mas comprou essa arma em alguma cidade ao norte. A adaga está lacrada (Peace-bonded Weapon), e está coberta com um óleo que impede de ver coloração original da lâmina. Ela joga a adaga fora e Uther (Leonam) pega. O Dragão Púrpura Larauto diz que Torador está a serviço de Cormyr, que Július Sol que deixou uma ordem de todos seguirem as ordens de Torador. Quando eles começam a sair da cidade Larauto pede para não acompanhá-los, mas no final combina de ir até próximo do local da missão e voltar sozinho. A Barda Ronara diz que não vai com eles. A cena termina com eles decidindo se vão para o sul (missão) ou para o leste (barco).


- Caelynn (Marcos Fon) comenta que gostaria de descansar, mas Nolara comenta que o barco sairá a qualquer momento. Ela então pensa em descansar no barco, e não vai à casa do líder comercial Soral pegar o dinheiro dos cavalos. A Clériga Isakis vai ao Walkway destrui-lo conforme Mile havia orientado. Caelynn e Nolara vão ao barco e se encontram com o Barqueiro Duvamil, que saí em busca dos tripulantes. Caelynn consegue colocar a pônei Tangerina para dentro do barco, na parte inferior. A Clériga Isakis volta, e o Barqueiro Duvamil retorna com 2 tripulantes, e todos zarpam pelo Starwater seguindo para leste. Por volta de 4km à leste, Duvamil chama Caelynn, dizendo que ele encontrou uma bandeira-boia de cor vermelha - uma pequena mini jangada usada para avisar outros navegantes pelo rio. Ele diz que isso é comum quando alguém quer avisar de perigo no rio. Caelynn pede a Gal que voe pelo perímetro para ver se percebe algum perigo. Pouco depois ela volta dizendo que há sim uma ameaça na parte oeste da margem, então Caelynn diz para ele se posicionar mais na parte leste. Duvamil avisa que isso pode ser perigoso por conta dos bancos de areia. Caelynn consegue ajudar na viagem e não há nenhum problema. Um pouco mais adiante Caelynn percebe que há uma pessoa na margem oeste. Esta pessoa parece olhar para o barco, e ela usa uma capa com um símbolo de uma adaga pegando fogo. Caelynn se lembra do período em que esteve em Arabel, que trata-se do brasão dos Fire Knives, uma guilda de ladrões de Westgate que tinha negócios criminosos em Arabel. Caelynn manda Gal ir atacar o Fire Knive e dispara uma flecha no mato. Ao ouvir o barulho da flecha o Fire Knive sai da orla do rio e some no meio das árvores. Eles avançam com o barco até os 5km - local combinado para esperar Milo (Ruy) e Uther (Leonam). Algum tempo depois Caelynn escuta barulhos de borbulhas na lateral do barco. Ao subir ao convés ela vê cabeças de cavalo surgindo da água, e percebe ser Cavalos Marinhos. Ela pede para o Barqueiro Duvamil descer um pouco mais, seguindo por mais 1000 metros. Com isso eles conseguem se afastar dos Cavalos Marinhos. A 6km de Kallamarn, ao leste, eles lançam uma bandeira-boia de cor branca, com a finalidade de avisar seus companheiros Milo (Ruy) e Uther (Leonam).


- Bela (Ana), Delvar (Vicenzo), Valygar (Túlio), Roscoe (Yan), Sold-Kur, Capitã Olma, Romero (O'Neill), Azrael (Dlemarcos), Kayla (Esmeralda), Jonathan Demontier (O'Neill), Malask Huntinghorn, Július Sol, Arquiclérigo Mzentul, Clérigo Jassan estão nas Torres da Boa Fortuna, templo de Tymora. Roscoe (Yan) é curado por Arquiclérigo Mzentul, e eles voltam para o salão principal. Bela (Ana) e Kayla (Esmeralda) saem do templo e vão em direção ao Templo de Basset para descansar. Azrael (Dlemarcos) deixam o templo e vai para seu templo de Kelemvor, sua divindade. Delvar (Vicenzo) pergunta a Malask Huntinghorn e Július Sol se eles estão com fome. Eles dizem que estão letárgicos, que não sabem dizer. Delvar conta que eles foram clonados, e que havia uma cobra enfiada em suas gargantas como parte do ritual de controlar seus clones. Eles se assustam, e pedem para falar com a regente. Delvar conta que ela também foi clonada. De repente um barulho de uma magia de raio vem lá de fora, acerta a Clériga Khalid (uma das clérigas de Tymora), e ela explode com a magia. o Portador Zolis (um noviço do local), fecha a porta do templo e avisa aos personagens que há muitas pessoas lá fora, uma maga, muitos soldados. Delvar (Vicenzo) pergunta ao Arquiclérigo Mzentul se há outra saída. Ele diz que há uma passagem subterrânea sob a estátua da grande moeda de Tymora no altar do templo. A passagem dá para uma antiga masmorra de energia maligna que foi celada com a construção do templo sobre ela. Ele confirma que só há a porta principal e essa saída secreta. Lá de fora uma mulher grita "entreguem Malask Huntinghorn e Július Sol". Eles começam a empurrar a grande estátua para encontrar a passagem. Eles descem. Arquiclérigo Mzentul, Clérigo Jassan e Portador Zolis ficam lá em cima, e fecham a passagem.


- Delvar (Vicenzo), Roscoe (Yan), Valygar (Túlio), Sold-Kur, Capitã Olma, Romero (O'Neill), Jonathan Demontier (O'Neill), Malask Huntinghorn e Július Sol chegam a uma dungeon subterrânea muito escura, úmida, com cheiro de carne podre. Delvar percebe que ventos vem de uma escada a sua direita, e barulho de goteira vem do sul. Roscoe (Yan) não percebe armadilhas, mas percebe que há algo no centro, algo invisível, furta-cor, que fica quase visível quando olhado de certa posição. Romero (O'Neill) diz que já ouviu uma canção que conta que este local era um antro de criaturas necróticas, mas que foram derrotadas pelos clérigos de Tymora. Romero (O'Neill) e Delvar (Vicenzo) descobrem que o item invisível no centro é um baú. Valygar (Túlio) diz que sente uma presença mágica dentro do baú. O jogo terminar neste momento.


Informações Extras


Cartas descobertas:

Carta Náutica: Esta carta mostra uma rota que sai de um ponto próxima aos portos da Cidadela do Purple Dragon, mas partindo do mar (A12, navio naufragado) até a cidade de Wheloon. Ela não é assinada.


Carta 1:

Carta ao netherese Garrison. A viagem para Telflamm, Thesk está sendo organizada pelo enclave thayrano de Proskur. Os recursos para tal serão disponibilizados mediante cumprimento das ordens repassadas ao Capitão Andraste. Assinado: Maga Shandri (ao lado da assinatura há um símbolo/brasão - vide imagem abaixo)


Carta 2:

Carta ao netherese Garrison. Chegando em Telflamm seremos recebidos pelo enclave se Thay da cidade, onde as caravanas para cruzar a Golden Way já estão sendo organizadas. Tudo deve ocorrer em 1380 CV, pelas estimativas.

Assinado: Maga Shandri (ao lado da assinatura há um símbolo/brasão - vide imagem)




Carta 4:

Carta ao netherese Garrison. Enquanto isso, estamos realizando nossa trabalho junto aos suzalianos. Poucos de nós sabemos deste acordo: somente eu, o Capitão Andraste e o Ferreiro Furor (os dois não são de Netheril). Assinado: Maga Shandri (ao lado da assinatura há um símbolo/brasão - vide imagem)


Carta 5:

Carta à Maga netherese Shandri. O Geomante Xozzai já realizou o ritual no base norte, fora da cidade. Tudo foi anotado no livro vermelho, que ficou aqui escondido no meu quarto. Segundo ele este ritual foi brando, já que não conseguimos capturar a regente. Ele deve preparar outro em breve. Assinado: Garrison (ao lado da assinatura há um símbolo/brasão - vide imagem acima)


Carta 6:

Carta à Maga netherese Shandri.

O capitão do Séquito confirmou que os rituais iniciais estão sendo realizados pela cidade, além de outros na cidades próximas, de Kallamarn e Wheloon. Há alguns já preparados, e um próximo será ritualizado no Intento.

Assinado: Garrison (ao lado da assinatura há um símbolo/brasão - vide imagem acima)


Carta 7:

Ao guardião Norton. Eu trouxe a matéria prima de minérios de Kallamarn. Disfarcei tudo nos lotes de Kallamarn Catsheads, aquelas maçãs, você sabe. O senhor Rutos quer saber do pagamento dele. Ele não quer barras sem o brasão de Cormyr. Voltarei em breve para buscá-las. Assinado: Comerciante Tuco


Carta 8:

Ao guardião Calika. A carta náutica está atualizada com a rota que a embarcação Blade of Espar deve fazer até Wheloon. Os guardas do Trono de Ferro e alguns Purple Dragons estão ajudando no carregamento das adagas. Assinado: Comerciante Tuco


Carta 11:

À Capitã Haseid. Em mãos. Uma quantia de 100po deve ser oferecida para o Malark. Fazer vista grossa no porto (A4).

Carta assinada (sem brazão, e sem selo) pela Administradora Erevan Sol, do Trono de Ferro.


Carta 13:

À Erevan Sol. A navegação até Wheloon está garantida. Nosso acordo continua valendo para o Trono de Ferro, e para o Séquito do Oriente. Queremos incluir uma pessoa à lista de clonagem. Assinado: O Corvo Cego.


Carta ao Mago Calamantor:

À Calamantor. Tudo está acertado. As armas e as poucas pedras restantes já estão sendo carregadas para o Blade of Espar (local A12 no mapa). Conseguimos mais pessoas, que também já estão presas no navio. As demais estão sendo levedas a partir das outras bases. O tempo está acabando, precisamos levar as pessoas à Miríade o quanto antes. Ele vai chegar em breve. Localização da Miríade: 40km ao noroeste de Wheloon. Assinado: Bustoromir, o Senhor dos Olhos.


Informações gerais:


Thay é um reino no extremo leste de Faerûn. Ela possui "consulados", ou enclaves, em diversas cidades de Faerûn com a ideia de comercializar itens e conhecimento. Há em Proscur uma Enclave de Thay (enclave mais próximo do reino de Cormyr).


Trade bar: Trata-se de uma barra comercial padronizada por Baldur's Gate e utilizada em todo Faerûn. Ela contém 5 libras (2.27 kg), e tamanho 15 cm × 5 cm × 2.5 cm. São forjadas de prata, com o valor de 5po por libra, o que confere um valor total de 25 peças de ouro. As barras encontradas pelos personagens são de ouro, também pesam 5 libras, e são valoradas com 50 peças de ouro por libra. O valor total de 1 barra é 250po. Elas não estão assinadas com o brasão de Cormyr. É possível trocá-las oficialmente nos castelos das cidades, mediante pagamento de 10% do valor da barra.


Golden Way: uma estrada que atravessa toda região montanhosa entre Kara-Tur e Faerûn.


Peace-bonded Weapon (armas lacradas para a paz): em todas as cidades de Cormyr é cobrada uma taxa (que varia entre 1 a 5 peças de ouro) para lacrar nos portões de cada cidade. Assim as armas são lacradas com proteções de madeira e couro. Se alguém for visto sem lacres no interior das cidades, será abordado pelos soldados. Guildas conhecidas e oficiais possuem autorização para uso de armas dentro das cidades. Para criar uma guilda é cobrada uma taxa de acordo com as atividades da mesma. O valor varia entre (500 a 2000 peças de ouro).


Uso de magias dentro das cidades: é proibido o uso de magias dentro dos limites das cidades de Cormyr. Solicitações de exceções devem ser feitas na Torre da Magia Real em Suzail. Algumas outras cidades possuem um representante Mago da Guerra que pode autorizar.

163 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page